sexta-feira, 29 de maio de 2009

6º Ano ( 5ª Série )

Confucio / Se queres prever o futuro, estuda o passado.

Vídeo:
Biologia: Evolução Humana - Discovery Channel (Prof. Toid)
http://www.youtube.com/watch?v=TrDkr8sb8BY









O PRIMEIRO ESTÁGIO DA ORGANIZAÇÃO HUMANA


A partir do aparecimento do homem no Planeta Terra, suas manifestações e ansiedades se sobressaem em relação aos outros animais na criação e modificação do meio ambiente. O seu modo de vida transformou-se com suas invenções e criações. O fogo elemento essencial desde o seu domínio e criação, hoje ainda é um instrumento indispensável. Com o acúmulo de conhecimento o homem teve a necessidade de organizar e dividir a sua História em períodos. O Primeiro período, como sugere a História tradicional (eurocentrismo), foi o da ausência da escrita e o segundo, com seus registros escritos. O primeiro período foi marcado pelo convívio homem x natureza. Recolhia e coletava tudo de que necessitava. Observando os fenômenos da natureza e os outros animais começaram a transformar e dominar o desconhecido. Com os pássaros o segredo das plantas e o manejo da terra. Com os outros animais observaram o seu comportamento e aprenderam os segredos da alimentação (caça, pesca e domesticação dos mesmos). Como afirma o Médico Nutricionista Gilles Delluc, o homem também perdeu sua qualidade de vida - dieta saudável. E na medida em que passou a dominar os segredos da agricultura e o pastoreio, começou a criar animais gordos e cultivar cereais: É o começo da história do infarto e dos derrames cerebrais (comer açúcar e gorduras saturadas).
Com o domínio do metal vai se consolidando o primeiro estágio da História. Não conseguindo acumular todas as informações, sentiu-se necessidade de registrar (escrita), e começa assim o segundo período de nossa História.
Clemente Borges – Licenciado em História / Universidade Católica de Petrópolis RJ - 1985



CIÊNCIAS AUXILIARES DA HISTÓRIA



Geografia - Ciência indispensável para o historiador, porque estuda, entre outras coisas, as relações entre os grupos humanos e a natureza.

Economia – É uma ciência que surgiu no final do século XVIII. Muitos economistas do passado contribuíram para o avanço da teoria econômica, entre eles Adam Smith, David Ricardo, Karl Marx e John M. Keynes. A economia procura responder a questões do tipo: o que determina os preços das mercadorias? Qual é a causa do desenvolvimento econômico de um país? Por que aumentou o desemprego? Qual é a maneira mais eficaz de investir capital? Qual é o papel dos bancos na economia do País?

Sociologia – É uma ciência que surgiu no final do século XIX. Os fundadores da sociologia foram o francês Émile Durkheim e os alemães Karl Marx e Max Weber. A Sociologia estuda como se organiza uma determinada sociedade. Exemplos do estudo dos sociólogos: quais são as classes sociais que existem no país? Qual é a causa do aumento da criminalidade? O que há de comum e de diferente nas idéias e no comportamento entre os adolescentes de classe média e os de classe baixa? O que o desemprego está fazendo com a organização das famílias brasileiras?
Mário SchmidtNOVA HISTÓRIA CRÍTICA

Antropologia – É uma ciência que se desenvolveu principalmente no século XX, a partir da Sociologia. O mais destacado antropólogo de todos os tempos é o francês Lévi-Strauss. A Antropologia estuda as diferenças culturais entre as sociedades ou entre os grupos sociais numa mesma sociedade. Exemplos do estudo dos antropólogos: por que as classes ricas têm um gosto por música, roupas e diversões diferente do gosto das classes mais pobres? Como a religião é vista hoje em dia pelas diferentes classes sociais? O que os europeus acham que é a “bagunça da vida brasileira”: é mesmo uma bagunça ou apenas um jeito diferente de viver? O que há de especial na relação entre pais e filhos numa certa tribo de índios na Amazônia? Quais são os valores adotados por gangues de adolescentes que se dedicam às drogas e à violência?
Paleontologia- Palavra de origem grega- paleo= antigo; ontos= ser; logo= conhecimento, estudo. É a ciência que estuda os seres vivos ( animais e vegetais) muito antigos, petrificados ou endurecidos, que se conservam até hoje.

Arqueologia- Estuda as culturas extintas.

Paleografia e Epigrafia- Estuda a escrita antiga.



Diplomática- Estuda os documentos oficias.



Cronologia- Estuda as datas históricas e os diferentes calendários.



Heráldica- Estuda os brasões de nobreza, os escudos.



Sigilografia- Estuda os selos.



Genealogia- Estuda as origens e os desdobramentos das famílias.

Numismática- Estuda as moedas.

Lingüística- Estudo histórico e comparativo das palavras.

Arqueologia- Palavras de origem grega – Archio= antigo; Logo= conhecimento, estudo. É a ciência que estuda os povos antigos, especialmente a partir de escavações e de restos materiais deixados por eles ( ossos, objetos, instrumentos, pinturas, construções, etc.).

Criptografia- Estudo das escritas em código ou em cifra.

Estatística- Parte da matemática que estuda os processos de obtenção, organização e análise de dados sobre a população humana.

Filologia- Estudo das línguas.

Hagiografia- Ciência que se relaciona aos assuntos sagrados; estudo da vida dos santos ( catolicismo).

Papirologia- Parte da Paleografia que analisa as escritas em papiro. * cifra: Escrita enigmática, ou a chave que a decifra.



O sistema de castas

Segundo uma lenda indiana, o Universo foi criado no momento em que os deuses sacrificaram um homem ideal e perfeito, o deus Brama. As várias partes desse homem teriam dado origem aos grupos sociais. Tal crença resultou no sistema de castas, no qual as camadas sociais estão da claramente separadas, com direitos e deveres diferentes.
O sistema de castas nasceu a partir da chegada dos árias, por volta de 2000 ou 1500 a.C. Esse povo, vindo da Pérsia (atual Irã), ocupou a Região Noroeste da Índia e parece ter dado início às desigualdades sociais no Vale do Rio Indo.
De acordo com a tradição, os árias eram divididos em três castas sociais: a primeira delas correspondia aos nobres, a segunda aos sacerdotes, os brâmanes, e a terceira aos trabalhadores. Além desses três grupos existiam os “intocáveis”, os harijans, considerados muito inferiores a qualquer uma das outras castas e vivendo em condições de fome, miséria, doenças e sofrimento.
Para cada uma das castas existia um rígido conjunto de normas e restrições a ser seguido, que determinavam o dia-a-dia das pessoas. A maneira de se vestir, relacionar-se com as pessoas, alimentar-se e até o casamento já estavam estabelecidos antes do nascimento de cada indivíduo e deveriam ser respeitados até a morte.
As pessoas de castas diferentes só se relacionavam pelas exigências do trabalho: os comerciantes, quando vendiam produtos para os nobres; os construtores, quando construíam as casas dos reis; os lavradores, quando aravam as terras dos palácios, entre outros exemplos. Atualmente, na Índia, as castas ainda preservam conjuntos de regras que determinam o comportamento das pessoas.
Encontros com a História : 5ª série / Carla Anastásia, Vanise Ribeiro;
Ilustrações José Luís Juhas, Dagoberto Ismar Pereira. – Curitiba : Positivo,
2006 (Pág.; 51)





video



Mundo Grego

Perguntas e repostas


1- As características geográficas influenciaram a história da Grécia? Por quê?
R.: Sim, porque o relevo dificultava a entrada no território e o litoral facilitava a navegação. Em função disso, os gregos voltaram-se mais para o exterior do continente do que para o interior.
2- Quem é considerado o “Pai da História”? R.: Heródoto.
3- Quais os poemas que nos forneceram muitos subsídios sobre a Grécia primitiva? R.: A Ilíada e Odisséia.
4- Que fontes auxiliam o estudo do primeiro período da história grega?

R.: As principais fontes que auxiliam o estudo do primeiro período da história grega são as descobertas arqueológicas e os poemas Ilíada e Odisséia, atribuídos a Homero.
5- Quais as características da cidade de Esparta?

R.:Era uma cidade conservadora e militarista.
6- Quais as características da cidade de Atenas?

R.: Era uma cidade aberta e democrática.
7- O que caracterizou a democracia ateniense?

R.: Era uma democracia, apenas para os cidadãos que viviam às custas do trabalho escravo.
8- Por que os gregos faziam as suas orações em pé?

R.: Porque para eles ajoelhar-se era indigno de homens livres.
9- Quem não participava da democracia ateniense e por quê?
R.: Escravos, estrangeiros, mulheres e jovens menores de 21 anos, porque não eram considerados cidadãos.
10- Qual a sua opinião sobre a democracia ateniense?
11- Compare o teatro da Grécia antiga com o dos dias atuais.
R.: Na Grécia antiga, o teatro era ao ar livre, construído numa colina, com degraus para o público se sentar. Além disso, nas peças apresentadas, os atores gregos utilizavam máscaras para representar as personagens. Hoje, os teatros são fechados, e o público senta-se em cadeiras, no auditório.

12- Explique, com suas palavras, o significado da expressão: A Grécia Antiga nunca foi um Estado único.

R.: nunca houve um governo centralizado para os gregos. A Grécia Antiga era um conjunto de cidades-Estado independentes, com leis, sistema de governo e costumes próprios

13- Qual é a base do regime democrático?
R.: A liberdade de todo o cidadão, pobre ou rico, escolher seus representantes políticos.
14- O que os gregos entenderam por Filosofia?

R.: Um sério esforço para compreender o mundo e os homens.
15- Como eram organizadas as Olimpíadas?
R.: Somente os cidadãos gregos podiam participar dos jogos. As competições duravam uma semana, e havia cinco provas: lançamento de dardo, corrida a pé, arremesso de disco, luta e salto em distância. Os vencedores ganhavam uma coroa de louros, significando que eram os preferidos dos deuses.
16- O que eram as pólis?
R.: As pólis eram centros urbanos surgidos no período Arcaico, dominadas por uma elite local que cuidava da administração e subjugava a população local. Essas unidades administrativas eram autônomas entre si, constituindo-se em cidades-estados.
17- Explique a seguinte afirmação de Sófocles: “Há muitas maravilhas, mas nenhuma é tão maravilhosa quanto o homem”.
R.: A frase acima revela a principal preocupação dos intelectuais gregos: o homem. A cultura grega na Antiguidade era profundamente antropocêntrica.
18- Explique por que se diz que a religião grega era antropocêntrica. R.: Porque seus deuses tinham aparência, caráter e fraquezas humanas, havendo entre eles, muitas vezes relações familiares.
19- A cidade de Mileto está relacionada a que grande matemático e filósofo grego?
R.: Tales de Mileto
20- Filósofo grego condenado a tomar cicuta:

R.: Sócrates ( Sócrates. Embora não tenha escrito nenhum livro, Sócrates é um dos mais destacados filósofos da Grécia Antiga. Sócrates nasceu em 469 ou 470 a C. e viveu em Atenas. Por sua conduta pessoal - considerado extravagante - e também por suas posições políticas e filosóficas, Sócrates foi levado a julgamento, sob a acusação de introduzir novos cultos e de corromper a juventude ateniense.)
21- Segundo a lenda, o que era o Minotauro?

R.: Era um monstro com cabeça de touro e corpo de homem, que vivia num labirinto na ilha de Creta.
22- Como era a situação da mulher na sociedade cretense?

R.: As mulheres possuíam um nível de liberdade social inexistente em outras regiões da Antiguidade. Podiam passear pelas ruas e ocupavam lugar de relevo nos teatros e no circo. Além disso, podiam desempenhar diversos trabalhos, ao lado do homem, e participar de espetáculo esportivos como toureiras ou lutadoras. Às mulheres sacerdotisas cabia, o principal papel nas cerimônias religiosas.
23- Qual o caminho seguido pela filosofia grega para explicar a verdade?

R.: Durante muito tempo os gregos lançaram mão dos mitos para explicar os fenômenos naturais. Mas a filosofia grega buscou um outro caminho para explicar a verdade: o caminho da razão.
24- Que importante contradição podemos notar entre o pensamento de Aristóteles e a realidade da democracia ateniense?

R.: Os princípios de liberdade, igualdade e soberania do povo defendidos por Aristóteles, na realidade, eram monopólios de apenas uma parte da população, os chamados cidadãos atenienses. A grande maioria da população - os escravos, os estrangeiros e as mulheres - era excluída dos direitos civis e políticos e, portanto, da democracia ateniense.
25- Como era a educação das crianças espartanas?

R.: Os meninos espartanos ficavam aos cuidados dos pais até a idade de seis anos e, a partir daí, eram educados por instrutores pagos pelo Estado, que os habilitavam na arte militar. As meninas se preparavam, física e moralmente, para ser mães de crianças fortes e sadias.
26- Por que chamamos as sociedades da Grécia e de Roma, na Antiguidade, de “sociedades escravistas”?

R.: Porque predominava o trabalho escravo.
27- Qual a influência da geografia para o povo grego? Justifique.

R.: Os muitos golfos, baías e enseadas facilitavam a navegação.
28- Como viviam os cretenses? R.: O povo cretense se alimentava bem e procurava levar uma vida saudável.
29- “Os cretenses tinham hábitos parecidos com os nossos”. Justifique a afirmativa.

R.: Sim, pois tinham grande preocupação com a aparência física e com as vestimentas.
30- Quais as principais características da civilização micênica.

R.: Estava dividida em reinos independentes, desenvolvia a agricultura e a pecuária; estava dividida em camadas sociais; dedicava-se ao comércio e exaltava as atividades guerreiras.
31- Quais as características da sociedade homérica?

R.: Economia natural; não existia o comércio nem o dinheiro; inexistia a divisão em classes sociais e o Estado ainda não havia nascido.
32- Qual a importância dos jogos Olímpicos? E hoje?

R.: Serviam para irmanar os gregos. Hoje, além dos ideais antigos, os interesses comerciais e, às vezes, políticos acabam prevalecendo.
33- “O nascimento do teatro foi um fato marcante da cultura grega.” Justifique a afirmativa.

R.: Sim, pois o teatro passou a ter importância marcante na história cultural da humanidade.
34- O que os gregos entendiam por filosofia? Justifique.

R.:Um sério esforço para compreender o mundo e os homens; dessa maneira, por meio da especulação e do questionamento, os gregos lançaram as bases de várias ciências.
35- Maior sábio da Antiguidade, contribuiu grandemente para o desenvolvimento das ciências. Defendia uma sociedade onde houvesse certo equilíbrio entre ricos e pobres. Ensinava passeando pelos bosques, por isso sua escola se chamava peripatética, isto é, “ambulante”.

R.: Aristóteles
36- O que foi o Ostracismo?

R.: Uma das reformas de Clístenes foi a instituição do ostracismo para proteger a democracia (governo do povo), prática em que cada cidadão escrevia sobre um seixo de argila (óstrakon) o nome da pessoa que deveria ser exilada por ser considerada perigosa ao regime democrático. O exílio durava dez anos, findos os quais o condenado podia retornar livremente a Atenas, recuperando todos os direitos que possuía.
37- Aluno de Sócrates, aristocrata convicto, daí o seu desprezo pela democracia. Suas principais obras foram: A República e As leis. Para ele, os homens se dividiam em homens livres, que têm raciocínio, e escravos, que só devem cumprir as ordens de seus senhores.

R.: Platão
38- Nada escreveu, e aquilo que sabemos sobre ele e sobre suas idéias nos foi transmitido por platão, seu mais brilhante aluno. Adotava como regra de vida o seguinte princípio: Conhece-te a ti mesmo. Uma outra frase predileta sua era: Só sei que nada sei.

R.: Sócrates.
39-O que acontecia aos pequenos proprietários ( gregos ) de terras pouco férteis quando não conseguiam pagar suas dívidas?

R.: Perdiam a propriedade da terra ou eram transformados em escravos.

40-Qual o significado etimológico da palavra filosofia? R.: Filosofia vem do grego filos, amor, amizade, e sofia, sabedoria. Significa, portanto, amor à sabedoria.

41- Como era mantida a unidade cultural entre as cidades gregas?

R.: Através da lingua, da religião e dos costumes.

42- Qual foi a maior contribuição da cultura grega para as civilizações posteriores?

R.: Foi o humanismo, istoé, a valorização do homem como a criatura mais importante do universo.

43- Qual é a origem das Olimpíadas?

R.: As olimpíadas começaram em 776 a.C., na cidade de Olímpia, na Grécia. Eram um festival religioso em homenagem a Zeus.

44- O que acontecia aos pequenos proprietários de terras pouco férteis quando nbão conseguiam pagar suas dívidas?

R.: Perdiam a propriedade da terra ou eram transformados em escravos.

45- Quais eram as principais reinvidicações dos camponeses atenienses, nas suas lutas contra a aristocracia?

R.: O fim da escravidão por dívidas e uma nova distribuição das terras.



Fontes ( caderno de atividades):

Renato Mocellin

para compreender a HISTÓRIA

Curitiba, 1ª edição, 2004

POSITIVO


Gilberto Cotrim

HISTÓRIA E CONSCIÊNCIA DO MUNDO

3ª EDIÇÃO, 1993

Saraiva

Maria Januaria Vilela Santos

HistóriaAntiga e Medieval

9ª edição, 1990

Ática

Projeto editorial: João Guizzo

HISTÓRIA INTEGRADA da pré-História ao fim do Império Romano

São Paulo, volume 1, 1998

Ática


O IMPÉRIO ROMANO
O legado romano
Roma transmitiu um legado cult­ural próprio por meio de três gran­des contribuições: o Direito Roma­no, a língua latina e o cristianismo. Essa herança sobreviveu ao Impé­rio Romano e influencia, hoje, a chamada sociedade ocidental.
As leis escritas do Direito Ro­mano foram agrupadas, no século VI, pelo imperador bizantino Jus­tiniano, ficando conhecidas como Código de Justiniano. Esse código inspirou o Direito da maioria dos países do mundo ocidental.

O latim foi a língua da qual nasceram os idiomas italiano, francês, romeno, espanhol e português. A língua dos romanos continua sendo até hoje a língua oficial da Igreja católica. Na lite­ratura, destacam-se as obras de Virgílio, autor de Eneida, de Lu­crécio e do poeta Cícero, as comédias de Plauto e os poemas de Catulo. Na historiografia, os autores mais destacados foram Júlio César, com seus comentários sobre as guerras; Tácito, o mais famoso dos historiadores roma­nos; e Tito Lívio, que escreveu História de Roma.
Roma, também, incorporou e transmitiu o cristianismo, religião originária do Oriente. Essa reli­gião, com seus valores e ensina­mentos, tornou-se a principal referência espiritual do Ocidente.
É bom sempre lembrar que os romanos ainda deram contribui­ções à humanidade na área da engenharia e da arquitetura.
Direito romano e
o Direito hoje
Passados quase dois mil anos, as leis de hoje não poderiam ser uma cópia das do tempo de Otávio Augusto ou de Justiniano. No entanto, em vários países, entre eles o Brasil, é possível perceber a influência do Direito dos antigos romanos. Veja, a seguir, algumas regras do Direito Romano que, ainda hoje, são seguidas na legislação brasileira.
· Ninguém é forçado a defender uma causa contra a própria vontade.
· Ninguém sofrerá penalidade pelo que pensa.
· Ninguém pode ser retirado à força de sua própria casa.
· Nada que não se permita ao acusado deve ser permitido ao acusador.
· O encargo da prova fica com aquele que acusa e não com o acusado.
· Um pai não pode ser obrigado a testemunhar contra o filho, nem um filho contra o pai.
· Na aplicação de penalidades, deve ser levada em conta a idade e a inexperiência da parte culpada.

Mello, Leonel Itaussu de A.
Construindo consciências: história, 5ª série /
Leonel Itaussu de A. Mello & Luís César Amad Costa.
- 1. Ed. – São Paulo: Scipione, 2006. – (Construindo
Consciências) Pág. 177

5 comentários:

  1. Perguntas muito bem elaboradas . Aprendi muito com elas.

    ResponderExcluir
  2. TEM TUDO AI MENOS O QUE COMO ERA ORGANIZADAS AS OLIMPÌADAS NA GRÈCIA aNTIGA AFFFF

    ResponderExcluir
  3. Sou aluna e não achei a resposta da pergunta a seguir no meu livro: Explique de que forma o relevo e as caracteristicas do litoral grego influenciaram a historia da grecia antiga! Me respodam por favor! Obrigada

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. oi sou sou aluna e a resposta que eu queria não está aqui me responta por favor Explique de que forma o relevo e as caracteristicas do litoral grego influenciaram a historia da grecia antiga! Obrigada !!!

    ResponderExcluir